Igor Ferreira Um simples blog

Assexualidade

Este texto comentará algo pessoal, e mencionará sexualidade. Se você não tem interesse, recomendo pular meus próximos posts. Dito isso:

Recentemente tenho postado sobre ADHD, e desafios em saúde mental. E algo que venho resolvido apenas recentemente é assexualidade.

Infelizmente, sexualidade é um assunto que não é debatido como deveria (em minha opinião). E cresci em uma cultura machista. Não em minha casa/família, mas em minha comunidade. Brasil, até hoje, é muito machista, e permeia o conceito de que um homem precisa ser “Macho”. E parte da masculiade frágil do “macho” é que o homem precisa constantemente estar desejando sexo. Mesmo quando se extende para homens homossexuais, ainda é culturalmente esperado que “homem sempre pense em sexo”. E daí vem algo que constantemente afetava meu sono/sanidade; Apesar de me identificar como homem não homosexual, nunca consegui me identificar como heterosexual. Não me colocarei no mesmo level de dificuldades de vida dos homossexuais ou bissexuais, mas sempre foi algo que atormentou minha mente. E me trás consequências até hoje.

Pela maior parte de minha vida, para poder me encaixar na sociedade, mentia a outros (e a mim mesmo) sobre relacionamento. Buscando falar o que os outros queriam ouvir, enquanto tentava converser-me de que aquilo que falava devia ser a verdade que buscava. Ainda mais que, sempre, tive curiosidades a cerca de sexo. Curiosidade de alguém que está fora desse mundo e gostaria de saber mais sobre. Por simples e pura curiosidade. Algo que dificultava meu entendimento sobre minhas escolhas de relacionamento e sexualidade. Estou muito próximo de meus 30 anos, e apenas nos últimos anos aceitei o conceito de Assexualidade, e aceitei que me enquadro nesse espectro (sim, acredito que sexualidade é um espectro, não um valor definido. E muito menos binário). E devo dizer que foi algo muito reconfortante.

Reconfortante porque pude aceitar minha curiosidade sobre sexo no mesmo nível da minha curiosidade sobre culinária, ou música: Quais os fatores (sociais e biológicos) que levam um ser humano a preferir X em vez de Y. Este ponto ainda tem um imenso impacto em minhas relações romântica, porque envolve expectativas e desejos. Algo muito importante. Mas, agora, pelo menos, me dá total ciência do que se deve ser debatido, como deve ser debatido, porque se deve ser debatido, e com quem debater.

Aos que se perguntam do porque esse textão: Hoje, mais do que nunca, acredito que temos (como sociedade) nos abrir para debater temas sociológicos e de saúde mental. E sexualidade é parte disso. E, uma parte muito importante na formação de identidade de um ser. E sexualidade, por conta de religião e conservadorismo, é algo que é agressivamente escondido, e evitado. Entretanto, tem um papel importante na vida do ser humano, uma vez que define as relações interpessoais. E entendimento da categorização de relacionamentos.

E, com isso, termino meu relato. Beijos, e até uma próxima.